Released on 07.2018

Campanha de Engajamento CAEC

Em 1976, após chuvas torrenciais, a prefeitura de Salvador designou lotes para centenas de desabrigados em Canabrava, na região norte da cidade. Na região, sem água encanada, sanamento básico ou comércio local, havia um lixão, que se tornou a única fonte de renda das famílias realocadas. No ano 2000, o lixão de Canabrava foi fechado e os resíduos sólidos direcionados para um aterro sanitário. Resolvia-se um problema ambiental, mas gerava-se um grave problema social: os catadores sem o lixão. Em 2001, com o apoio da ONG Pangea, quarenta e oito catadores fundaram a CAEC – Cooperativa de Catadores Agentes Ecológicos de Canabrava, que hoje conta com cerca de 80 cooperados.

Em 2017 a CAEC devolveu a cadeia produtiva 3,5 milhões de quilos de materiais. Se direcionados ao aterro sanitário, esses resíduos custariam grandes somas aos cofres públicos. Junto a outras cooperativas, a CAEC encabeçou em 2018 uma campanha que visa pressionar o governo municipal a subsidiar parcialmente essas atividades.

Peça-conceito que ilustra a economia representada somente pelo trabalho da CAEC na região metropolitana de Salvador.

Quatro peças secundárias foram criadas para uso e circulação nas redes sociais, buscando sensibilizar o público para a causa dos catadores, apostando no impacto dos valores economizados e das enormes quantidades de recursos naturais poupados.